Tendências 2018

12 tendências que afetarão também as pulseiras para relógio

Longe vão os tempos em que o relógio era simplesmente um artefacto para medir o tempo e, como tal, procurava-se fundamentalmente um que fosse funcional. Hoje em dia, o relógio, e, consequentemente, a sua pulseira, são totalmente influenciados pelas tendências vindas do mundo da moda. Hoje é frequente ver que cada marca do mundo da costura tem a sua linha de relógios. Para dar alguns exemplos, basta citar Guess, Tommy Hilfiger, Versace ou Gucci.

Quais são as tendências da moda que nos vão marcar para este 2018 que acaba de começar? Quer saber o que pedirão os clientes nas relojoarias? Quer atualizar o seu velho relógio, pondo-o na última moda apenas com uma troca de pulseira? Então não deixe de ler esta publicação, na qual lhe adiantamos como será 2018.

1. Brilhos

Vamos começar a ver lantejoulas e acessórios brilhantes não só nos vestidos de noite, mas também durante o dia. E se o seu vestido vai brilhar, porque não deveria fazer o mesmo o seu relógio? Nesta linha Diloy, tem o seu modelo de pulseira metalizada 369 em medidas de 18 a 30mm nas cores dourado e prateado. Além disso, começámos a introduzir peles brilhantes em alguns dos nossos modelos, como o 401, disponível em 13 cores,entre 14 e 24mm.

Não perca a nossa coleção de pulseiras para relógio fashion.

pulseira metalizada 369

pulseira metalizada 369

2. Ultravioleta, amarelo e laranja

Se a Pantone diz que é a cor do ano, por alguma razão será. Como sabe, na Diloy referimo-nos às cores por um código, e, curiosamente, o Ultravioleta é o 18. Será algum tipo de premonição? Temos vários modelos com esta cor, sobretudo na nossa coleção Essential, que, como o próprio nome indica, contém os modelos que não deveriam faltar em nenhuma relojoaria. Dê uma vista de olhos por esta coleção e encontrará pulseiras desta cor em medidas entre 12 e 30mm e, além disso, ao melhor preço.

Associado a esta cor violeta, as passarelas apareceram em tons de lavanda e tons ácidos como o amarelo e alaranjados, que correspondem, respetivamente, aos códigos de cor 10 e 12 da coleção Diloy.

3. As cores pastel

As cores pastel transformaram-se na grande aposta da primavera-verão 2018. Do rosa claro ao verde-água ou ao amarelo. E tudo indica que não será uma tendência passageira, mas sim uma das que chegam para ficar durante algum tempo. Nina Ricci, Delpozo, Miu Miu ou Victoria Beckham incluíram-nas nas suas novas coleções e, naturalmente, as marcas low-cost apaixonaram-se igualmente por esta tendência que chegará também ao mundo da relojoaria.

Estes tons transformam-se em tendência pela sua qualidade luminosa, recuperando a suavidade atrativa feminina. Por isso, o lilás, o amarelo, o azul cíano e o rosa transformam-se nas cores-chave às quais ninguém poderá dizer que não.

Na Diloy, temos modelos com uma variedade de até 18 cores. Se não encontra a cor de tendência, é porque não existe. Por exemplo, dê uma vista de olhos ao nosso modelo mais básico, a pulseira 302. Uma pulseira de couro bovino disponível em 18 cores, entre as quais encontrará rosas, lilases, amarelos, cinzentos, etc.

Na Diloy, temos modelos com uma variedade de até 18 cores. Se não encontra a cor de tendência, é porque não existe. Por exemplo, dê uma vista de olhos ao nosso modelo mais básico, a pulseira 302. Uma pulseira de couro bovino disponível em 18 cores, entre as quais encontrará rosas, lilases, amarelos, cinzentos, etc.

Dê uma vista de olhos aos modelos com códigos de cor 13 (pau-rosa), 16 (azul), 19 (azul cíano), 14 (lilás), 10 (amarelo), 23 (creme), 22 (branco)

4. O branco

2018 reinventa a tendência para nos oferecer estilos de roupa completamente brancos com diferentes cortes e larguras, o que indica que o branco continuará a ser habitual nos relógios de mulher.

Precisa de pulseiras brancas?

  • Temos modelos clássicos entre 10 e 40mm: modelo 302, 304
  • Gravado com motivo de touro, como a P205
  • Gravado com motivo de crocodilo, como as nossas 361 e 368
  • Inclusive algum modelo mais desportivo, como a 363

Recordamos-lhe que, na Diloy, o código de cor branco é o 22.

5. Military Chic

Época atrás de época, volta o visual militar. Temos uma publicação sobre o assunto, pelo que não o vou aborrecer repetindo-a. A nossa coleção está repleta de modelos disponíveis em cor verde-oliva e em estampados de camuflagem. Não lhe será difícil encontrá-los.

6. Denim ou ganga

As empresas mais importantes propõem, nos seus desfiles primavera-verão, artigos de vestuário em ganga tão variados como casacos, blazers, vestidos de cocktail e saias-casaco. Uma alternativa para dar uma volta ao visual do empoderamento feminino. Além dos artigos de vestuário propriamente ditos, veremos a ganga em sapatos, bolsas e outros acessórios, pelo que seguramente os relógios não serão alheios a esta moda.

Já sabe que pode colocar ganga no seu relógio com os nossos modelos

Pulseira de ganga 389

Pulseira de ganga 389

Pulseira denim 390

Pulseira denim 390

7. Visual Vintage

De há um tempo a esta parte, no que se refere a relógios, o mais antigo converteu-se no mais novo. Seguindo a tendência que está a ter influência em todos os aspetos da nossa vida quotidiana, desde mobiliário, com o renascimento dos sofás Chester, até aos artigos de decoração, todas as marcas de relojoaria incluíram, nas suas coleções, modelos vintage, apoiando-se em materiais envelhecidos e em desenhos de pulseiras de há mais de 50 anos, com costuras feitas à mão.

Se procura uma pulseira que “rejuvenesça” o seu relógio, dando-lhe um ar retro, certamente irá encontrar o que precisa na nossa coleção de pulseiras para relógio vintage.

Não perca o nosso modelo Vetusta, fabricado com couro bovino envelhecido no processo de curtimento até chegar a um vergado superficial ligeiro e irregular, que imitará na perfeição vários anos de uso

Pulseira Vetusta

Pulseira Vetusta

Prova-o o nosso modelo Louisiana, fabricado com couro bovino gravado com motivo de crocodilo, cosido à mão e com um desenho baseado nos modelos dos anos 50.

Pulseira Louisiana

Pulseira Louisiana

8 y 9. Nato e Zulu

Muito relacionado com o vintage ou retro, temos os modelos Nato e Zulu. Temos outra publicação deste blogue fazendo referência precisamente a este tipo de modelos que talvez lhe interesse ler. Aqui.

Há alguma marca que ainda não tenha incluído, nas suas coleções, este tipo de pulseira? Desde marcas como a Tudor, a relógios económicos oferecidos em jornais, passando pelo inevitável Daniel Wellington.

Pulseira para relógio Bi Zulu

Pulseira para relógio Bi Zulu

2018 significará a consolidação deste tipo de pulseiras NATO

10. Preto total.

Sim, eu sei, não há nada mais evidente do que dizer que uma pulseira preta será um top de vendas. Mas quando falamos do preto total, estamos a referir-nos a pulseiras pretas, com costuras grossas e visíveis, mas também pretas e fivelas e outros detalhes metálicos com oxidação negra.

 

Neste momento, só temos disponível um modelo que pode entrar nesta tendência: a nossa pulseira 397, fabricada com couro bovino encerado. Mas estamos a trabalhar em vários modelos que cubram esta procura do mercado.

Para já, recordamos que temos disponíveis fivelas com oxidação negra, com as quais poderá converter qualquer dos nossos modelos clássicos.

11. Cores arenosas

Sim, o deserto marca tendência esta temporada. Na realidade, a febre desértica chegou, com as suas cores terra e as suas texturas orgânicas, aos nossos roupeiros para ficar em 2016 e seguirá connosco em 2018.

Não deixe de dar uma vista de olhos à nossa pulseira 399 (nosso modelo Sahara), o modelo que melhor recolhe o espírito do deserto.

12. Mesh ou Milanesa

Por último, mas não menos importante, as milanesas ou pulseiras tipo mesh, fabricadas com fio de aço entrelaçado. Se quer aprender mais sobre este tipo de pulseiras, não deixe de ler esta publicação sobre o nosso modelo Mesh EP

Montada tanto em relógios de preço básico, como Marea, como em grandes marcas como Omega, Breitling, IWC ou Zenith, passando por marcas mais populares como Lotus, Festina, Viceroy, Mondaine, Calvin Klein ou Hamilton. E, naturalmente, nas duas marcas de moda dos dois últimos anos: Daniel Wellington e Bering.

Na Diloy, oferecemos-lhe vários modelos de pulseiras tipo mesh. Dê uma vista de olhos à nossa coleção se quer pôr uma pulseira milanesa no seu relógio

Bónus: 3 Tendências que espero que não nos afetem

1. Bolinhas

Um dia, prometi a mim mesmo não voltar a fabricar pulseiras às bolinhas, pelo que fiquei realmente preocupado quando li que uma das tendências de 2018 serão as bolinhas.

Para minha desgraça, não demorei nem 10 segundos a encontrar um relógio com a pulseira às bolinhas. E já dizia a minha avó: “onde encontras um, certamente que há mais”. Não quis nem continuar a procurar. Até ao momento, ninguém nos pediu, e espero que assim continue, mas se calhar, calhou… Mas cruzo os dedos… As últimas que fabricámos, creio que as conseguimos liquidar em 1990, coincidindo com a feira de abril.

2. Franjinhas

Outra das tendências de 2018 que espero que não chegue ao mundo das pulseiras para relógio. Depois do resultado da pesquisa das pulseiras às bolinhas, até tinha medo de repetir o mesmo com as franjinhas. Neste caso, a pesquisa demorou um pouco mais, mas encontrei um relógio com uma pulseira com franjinhas. Aqui sim, estou quase certo de que nos livraremos. Por favor, diga-me que não gosta.

 

Isto sim, na joalharia prepare-se porque vem com força.

3. Estampados

Uma imagem vale mais do que mil palavras

Grite comigo: “Nããããããããããããããããããão!”

O retro está na moda: Pulseiras para relógio vintage

O relógio é, seguramente, a jóia para homens mais vendida no mundo. Para além de ser um objeto útil para controlar a hora no dia a dia, com o tempo, converteu-se em todo um artigo de diferenciação. Por esse motivo, o momento de ir comprar um relógio requer que pare uns instantes a observar qual é o estilo que melhor dá com a sua personalidade. Para isso, é necessário conhecer os diferentes tipos de caixas e de pulseiras para relógio que existem no mercado.

O retro está na moda

Não só no mundo das jóias. Em qualquer âmbito da moda ou da decoração, veem-se em quantidade artigos retro que combinam perfeitamente com os visuais mais modernos e atuais.

No mundo da relojoaria passa-se exatamente o mesmo; um dos estilos que mais se estão a vender atualmente são os modelos que fazem lembrar os relógios de há anos. Num mundo onde tudo se fabrica em massa e onde a produção industrial anula por completo a personalidade dos produtos feitos à mão, os modelos de relógio retro dão um toque de distinção ao seu estilo, rompendo com os moldes da moda feita em cadeia.

Como combinar o seu relógio vintage

Uma das vantagens deste tipo de jóias é que a pode combinar com todo o tipo de roupa. Pelo seu desenho simples e discreto, poderá usar o seu relógio retro tanto em situações informais como em jantares de trabalho ou cerimónias especiais. Esta jóia delicada feita à mão dar-lhe-á um toque de elegância e estilo em qualquer situação, fazendo com que o seu visual fique mais original e com personalidade.

A produção de moda em cadeia trouxe muitas vantagens, como a descida dos custos, e, consequentemente, dos preços, mas também muitos inconvenientes. Desde que os produtos se fabricam de forma industrial, a originalidade e a exclusividade perderam-se pelo caminho. Todos os produtos são iguais. Talvez por isso, os clientes comecem a procurar artigos retro, que contam com os detalhes que os fazem únicos.

Como distinguir o comercial do autêntico

O estilo vintage está tão no auge, que muitas empresas começaram a fabricar imitações em série. Por isso, para se assegurar de que está a comprar um modelo retro autêntico, deve ter atenção a alguns detalhes.

O modelo retro genuíno é aquele que foi fabricado com as técnicas originais de produção. Quer dizer, que não foi imitado com a ajuda das novas tecnologias. Isto inclui partes feitas à mão, como podem ser as costuras da pulseira. É fácil de saber quando um produto está feito à mão e quando o fizeram numa máquina; os primeiros costumam ter pequenas diferenças entre eles. A mão do artesão nem sempre dá o ponto à mesma distância ou trata o couro da mesma forma. Isto faz com que cada peça tenha características únicas, não havendo duas pulseiras iguais. Isto é precisamente o que torna especial cada um dos nossos relógios.

Outra das questões à qual deve dar atenção são os materiais. Muitos produtores fazem as suas peças em imitação de couro para que os seus produtos sejam mais baratos. Mas se o que quer é uma jóia especial e elegante, deve certificar-se de que a pulseira para relógio que adquire é feita de pele.

Da mesma forma que os produtos manufaturados, a pele não tem sempre a mesma textura e a mesma cor em todas as partes. Isso, que à primeira vista pode confundir-se com um defeito para aqueles que estão habituados aos produtos industriais, é precisamente o que o faz saber se está perante um artigo de couro ou uma imitação.

São estes detalhes que fazem que cada uma das nossas jóias seja única. Essa originalidade é o que vai fazer com que o seu visual seja sofisticado e elegante em qualquer situação.

Um relógio é muito mais do que um acessório para ver as horas. Se assim não fosse, com o aparecimento dos telemóveis, teria desaparecido. No entanto, longe dessa situação, cada vez se vendem mais no mundo. Isto é assim porque o relógio é uma jóia, e é assim que tem de o ver na hora de ir a uma loja comprar um.

Antes de escolher o modelo, deve parar para pensar qual, de todas as caixas, vai melhor consigo ou de que pulseira para relógio é que gosta mais. Existem modelos para todos os estilos, mas, se quer acertar, com um modelo retro ficará mais elegante em todos os aspetos da sua vida sem parecer ostentoso. Um modelo de relógio vintage impulsionará o seu visual, independentemente de este ser mais ou menos formal. Com um modelo retro, acertará sempre.

Comprar a sua pulseira para relógio Vintage

Dê uma vista de olhos à nossa ampla gama de pulseiras para relógio vintage.

Coleção de pulseiras de couro para relógio redesenhada I

Pulseira de couro encerado: 77

Há modelos pelos quais tenho um carinho especial por ter crescido com eles. Sem dúvida, uma destas pulseiras da coleção Diloy de pulseiras de couro para relógio é a 77. Durante muitos anos, foi um dos modelos mais vendidos em todos os mercados em que a Diloy estava presente, mas, com o tempo, tinha-se tornado obsoleto, pelo que o submetemos a um processo de rejuvenescimento que passo a explicar.

Antigo modelo 77

Antigo modelo 77

Redesenhando o modelo 77: do couro engraxado ao couro encerado

A primeira grande mudança foi o couro. Inicialmente, utilizávamos um couro bovino engraxado, de origem italiana. Bom, bonito e caro. Não obstante o preço, o cliente via a qualidade e pagava o preço da pulseira sem problemas. Mas chegou a crise e os curtumes italianos começaram a fazer das suas com os couros.

O que era um couro excelente com a quantidade de óleo certa, converteu-se num material caríssimo com uma quantidade de óleo excessiva para tapar os defeitos de um couro a que tinham reduzido, definitivamente, a qualidade. No final, ao aquecer o couro para fazer o processo de semi-voltado, o molde parecia uma fritadeira com a quantidade de óleo que dele saía. Naturalmente, o óleo e as colas não se dão bem. Assim, antes de ter protestos de clientes, decidimos mudar o tipo de couro.

Passámos por inúmeros fornecedores de couro engraxado: espanhóis, italianos, paquistaneses… Os problemas eram sempre os mesmos: o excesso ou falta de óleo. Assim, as pulseiras rasgavam-se com facilidade, o óleo infiltrava-se até aos forros, manchando-os, havia problemas com colas, etc. Por sorte, todos esses problemas foram geridos ao nível da produção e nunca chegaram ao mercado.

A segunda tentativa foi um couro bovino que imitava o acabamento engraxado. Não era mau, a qualidade do couro era boa, mas o resultado era uma pulseira que, em vez de engraxada, estava plastificada. Quando tem que explicar aos clientes uma e outra vez que a pulseira é de couro legítimo e não de plástico, é porque algo está mal. Se parece plástico, não importa o material de que, de facto, a pulseira é feita. Assim, novamente, e antes que alguém se queixasse, mudámos o material.

Finalmente, encontrámos o couro que me agradou. Tanto que estamos a incorporá-lo também, passo a passo, na nossa coleção Vintage. Trata-se de um couro encerado. A cera dá-lhe um acabamento mate muito na moda neste tipo de pulseira, em vez de um acabamento brilhante do couro engraxado inicial. O encerado faz com que o couro se sinta como a pele legítima que realmente é, mantendo um tacto suave e natural.

Mudar o molde: de ponta quadrada a ponta em bico

A grande mudança seguinte foi atualizar “a carroçaria” da pulseira. Deixámos de a fabricar com o molde clássico de ponta quadrada e passámos a utilizar o nosso molde de ponta em bico. O resultado é um modelo mais atual de aspeto muito mais “mediterrâneo”. Sei que isto vai custar a explicar aos nossos clientes centro-europeus, que ainda gostam muito da ponta quadrada clássica, mas acreditamos que aceitarão a mudança.

Para complicar mais a situação: mudança do forro e da fivela

Queríamos que a nova versão do modelo 77 voltasse a ocupar o posto que lhe pertencia no mundo das pulseiras para relógio, e, por isso, melhorámo-lo ainda mais mudando o forro para ganhar suavidade e trocando a fivela de alumínio dourado original por um novo modelo de aço inoxidável muito mais moderno.

Medidas e cores disponíveis

Como havíamos de dizer que tínhamos mudado o modelo sem adicionar a medida mais vendida nos últimos anos? Agora, esta pulseira também está disponível na medida 22mm.

Quanto a cores, mantemos os clássicos: preto, castanho escuro e castanho intermédio. Não pomos de lado a hipótese de incluir outro castanho mais claro em breve.

O resultado final

Congratulamo-nos em apresentar-lhe o novo modelo 77. Uma pulseira clássica com um desenho moderno e atual, com um padrão de qualidade muito superior ao modelo original, e que, seguramente, estará disponível muito brevemente em todas as relojoarias.

Novo modelo 77

Novo modelo 77

Bonus Track

Sabia que marca está a montar pulseiras muito semelhantes à 77? Dê uma olhadela à pulseira St Mawes de Daniel Wellington. Oxalá continuem a vender muitos relógios. Com certeza, montam-na em 20mm.

Pulseira Daniel Wellington

Pulseira Daniel Wellington

Se quer ver mais modelos de pulseiras para relógio, não deixe de visitar a nossa página principal.

Como se fabrica uma pulseira de relógio de couro?

Como já não há segredos, quero ensinar-lhes como se fabrica uma pulseira de relógio de couro e como a fabricamos na Diloy. Ainda que, para ser sincero, vá saltar alguns detalhes que os meus chefes de produção não me permitem desvendar. No entanto, são detalhes que não afetam a elaboração em si mesma da pulseira, mas sim a produtividade. Já sabe que pode ver aqui toda a nossa coleção de pulseiras para relógio fabricadas em couro.

Tipos de pulseira para relógio de couro

De acordo com o seu processo de fabrico, podemos encontrar três grandes grupos. Ordenei-os de acordo com o grau de dificuldade e de conhecimento requerido:

  1. Ao corte
  2. Canto voltado.
  3. Canto semi-voltado.

Cada um destes tipos requer diferentes competências, tecnologias e conhecimentos. No final, estes conhecimentos são o maior limitador e o que obriga alguns fabricantes a só poder fornecer um tipo muito específico de pulseiras de couro.

Vamos ver um pouco de cada um destes tipos e o que os faz diferentes.

Pulseiras de couro fabricadas ao corte

Esta é a forma mais simples de fazer uma pulseira de relógio e qualquer um pode fazê-la. Vai entendê-lo mais à frente. De que precisamos?

  • Um pedaço de couro.
  • Uma régua.
  • Um cortador
  • Cola de contacto.
  • Alguém hábil, mas, como verá, não precisa de ter anos de experiência.

Deixo-lhe abaixo um vídeo que ilustra perfeitamente este tipo de fabrico. Com pequenas variações, é como se fabricam as pulseiras que se costumam chamar “artesanais” e creio que é bastante fácil que entenda por que motivo a qualidade de acabamento não costuma ser demasiado boa. Tenho de dizer que há artesãos maravilhosos que fazem peças que são autênticas obras de arte, mas concordará comigo em que são uma minoria.

Se sairmos do artesanato propriamente dito e formos à produção industrial de pulseiras de algumas empresas de Madrid ou da zona de Alicante, o trabalho é mais ou menos o mesmo, com pequenas diferenças:

  1. Usam-se prensas e cortadores de tiras para cortar o couro com a forma da pulseira, abrir os furos onde se encaixa a fivela ou o buraco da língua da pulseira.
  2. Usam-se redutores para reduzir a espessura da pulseira.
  3. Usam-se máquinas de costura.

Onde costuma estar o problema deste tipo de pulseiras?

Em primeiro lugar, no facto de os cortadores de tiras se danificarem e ser necessário mudá-los frequentemente, o que não é feito. Se tem uma dessas pulseiras a que se costuma chamar “nacionais” (como se os outros fôssemos extraterrestres), convido-o a passar o dedo pelo canto da pulseira e verá que é tudo menos suave.

O segundo grande problema é que se utilizam colas concebidas para o calçado, e uma pulseira para relógio não é um sapato. As superfícies a colar são muito menores, as espessuras não são as mesmas, tampouco o são as tensões a que se submetem, etc. No final, descolam-se. E, naturalmente, uma cola pensada para fixar o sapato à sola, não tem porque ter em conta as possíveis alergias que pode causar, uma vez que não vai estar em contacto com a pele. Daí vem grande parte das alergias e incómodos que muitos clientes nos reportam quando usam uma dessas pulseiras incorretamente chamadas “nacionais”.

Ao pintar o canto da pulseira, utiliza-se uma tinta qualquer. Já vi até tinta plástica tipo Titanlux, líquido de limpeza de sapatos tipo Kanfor, etc.

Os furos para os pinos estão fechados, muitas vezes, com cola.

Obviamente, é uma forma de produção muito económica. Para fazer uma pulseira, uma fábrica faz normalmente entre 12 e 18 passos.

Vamos vê-lo neste vídeo

Fábrica Diloy, pulseiras ao corte?

A resposta é sim, fabricamos algumas pulseiras ao corte. Concretamente, a nossa gama Vintage é fabricada seguindo esta técnica, e fazemo-lo para ser fiéis à forma como se fabricavam pulseiras nos anos 50, 60 e 70. Mas introduzimos muitas melhorias:

  • Utilizamos colas especialmente desenvolvidas para a indústria das pulseiras de relógio, amigas do ambiente e da pele do utilizador. Colas que cumprem com todos os padrões das regulamentações europeias e norte-americanas para elementos que estarão em contacto com a pele.
  • Preocupamo-nos em manter os nossos cortadores sempre bem afiados. Nem que mais não seja porque quanto mais limpo for o corte, menos trabalho posterior temos que fazer. É uma simples questão de custos porque esses detalhes preocupam-nos. Certamente que, na sua loja, terá alguma pulseira ao corte nossa e alguma da concorrência. Examine as bordas da pulseira, passe o dedo por elas, qual lhe parece que está mais bem acabada?
  • Para conseguir esse acabamento, lixamos todos os cantos até ter uma superfície uniforme. É um passo lento, que tem de ser feito à mão pulseira a pulseira, mas no final vê-se a diferença.
  • Usamos tintas especiais para pintar os cantos da pulseira. São tintas especialmente concebidas para o couro. Não pintura de plástico, como se costuma fazer.
  • Em vez de um revestimento, cada pulseira leva entre 5 e 7 revestimentos com os ciclos de secagem correspondentes.

Finalmente, enquanto a concorrência presume e justifica os seus altos custos porque realiza 18 passos diferentes, nós não fazemos uma pulseira ao corte com menos de 40 passos. Cada um desses passos acrescenta valor ao produto final e isso nota-se.

Além das pulseiras Vintage, temos alguns modelos desportivos que fabricamos ao corte.

Pulseiras de couro de canto voltado

Neste caso, a pele da parte superior da pulseira “abraça” o forro.

Como no caso da anterior, é um tipo de pulseira que quase qualquer um pode fazer, mas aqui já é necessário ter, pelo menos, um bom redutor e um pouco mais de habilidade porque, de outra forma, o resultado deixa muito a desejar.

Há uma grande vantagem face às pulseiras ao corte. Se está bem feita, o acabamento é mais elegante.

Quem emprega este tipo de técnica? Normalmente, fábricas que não dispõem da tecnologia do semi-voltado, seja pelo investimento que é necessário ou por falta de conhecimento. Também fábricas especializadas em fazer pulseiras para relógios de grandes marcas, nas quais os custos não são um problema e as produções são pequenas. São pequenas fábricas que contam com pessoal com uma amplíssima experiência.

Na Diloy, usamos este tipo de técnica há mais de 20 anos, mas aqui pode ver como se fabrica. O nosso processo atual é semelhante, mas difere no processo de orladura. Creio que este é um vídeo realmente interessante.

 

Pulseiras de couro de canto semi-voltado

Se, no caso anterior, o couro da pulseira “abraçava” o forro, no caso das pulseiras de canto semi-voltado, o couro superior reveste o bordo da pulseira e acaba exatamente no bordo do forro.

O que é necessário para fazer uma pulseira para relógio com canto semi-voltado?

Este tipo de fabrico já não está ao alcance de qualquer um, uma vez que implica dispor de conhecimentos técnicos, pessoal com uma altíssima qualificação e um investimento bastante considerável em tecnologia. Basicamente, precisamos de:

  • Couros adequados. Não podemos fazer uma pulseira com qualquer couro.
  • Colas especiais, porque haverá superfícies que colaremos com apenas um milímetro de largura.
  • Moldes, muitos moldes, muitíssimos: para cortar a parte superior, os interiores, o forro, marcar as linhas de costura, etc., etc., etc. Naturalmente que cada medida requer um conjunto de moldes diferente.
  • Uma divisora de peles de alta qualidade. Vamos reduzir a pele a 1,4mm de grossura e as partes que dobraremos para fazer o canto a 0,6mm. Mas têm de ser 0,6mm uniformes e isso não é qualquer divisora que faz.
  • As prensas de semi-voltado propriamente ditas, que representam a jóia da coroa e se encarregam de dobrar os cantos do couro e deixá-los perfeitos.

No total, a pulseira de canto semi-voltado mais simples que a Diloy fabrica leva um total de 52 passos. Acredita que alguém em 18 passos pode dar-lhe a mesma qualidade que nós em 52? Obviamente que não.

Neste vídeo, poderá ver algumas das máquinas que utilizamos. Não estão todas. Algumas foram desenhadas e desenvolvidas por nós mesmos. Outras foram completamente modificadas para as adaptar ao nosso fluxo de trabalho. Também poderá ver algumas das que utilizamos para fazer uma pulseira ao corte, como a polidora de bordos ou a máquina para pintar os cantos.

 

Agora já sabe tudo o que está por detrás de uma pulseira. Já só lhe falta fazer uma visita à nossa coleção de pulseiras de couro e equipar o seu relógio.

Apresentação de novo modelo de pulseira para relogio milanesa: MeshEP

MESHEP, o nosso modelo de milanesa mais elegante

Uma das tendências mais bem consolidadas no mercado nos últimos dois ou três anos são as pulseiras tipo milenesa ou mesh. Tratam-se de pulseiras feitas com fio de aço entrelaçado. Mas sabe de onde vem este tipo de pulseiras? A sua origem remonta às correias dos relógios de bolso do século XIX e foi na cidade italiana de Milão que se idealizou esta adaptação, daí o seu nome. A criação da milanesa (também conhecida como mesh ou malha) levou à entrada das pulseiras metálicas no mundo da relojoaria. Depois vieram as correias expansíveis e as pulseiras de elos. Podemos ver pulseiras de tipo milanesa nos primeiros Rolex Oyster dos anos 20.

Além dos que nunca deixaram de a usar como elemento de identidade própria, como a Skagen, uma infinidade de marcas começaram a apresentar as suas coleções com este tipo de pulseira: desde relógios de preço básico, como a Marea, a grandes marcas, como a Omega, a Breitling, a IWC ou a Zenith, passando por marcas mais populares, como a Lotus, a Festina, a Viceroy, a Mondaine, a Calvin Klein ou a Hamilton. E, naturalmente, as duas marcas da moda dos últimos dois anos: Daniel Wellington e Bering. Ainda que a marca que talvez tenha acabado por consolidar este tipo de estética para o grande público não seja uma marca de relojoaria propriamente dita, mas sim o Apple Watch.

Na Diloy, temos apostado desde há anos pela estética retro, tanto em pulseiras para relógio de couro vintage, como em metal, com a nossa gama de pulseiras milanesas. Agora reforçamos esta coleção com este novo modelo, o mais elegante de todos, o MESH EP com entrelaçado em espiga. O Mesh EP está disponível nas medidas entre 18 e 24mm, nas cores de aço e em cromado IPG de alta qualidade.

Military Chic

Pulseiras fabricadas com tecido militar

Época atrás de época, há algo que nunca falha: o militar está na moda. Mas não só nos estampados de camuflagem ou nos artigos de vestuário de cor verde-oliva. Desde o verão de 2017, esta tendência estende-se a todo o tipo de artigos de vestuário e acessórios: desde t-shirts estampadas a parkas, bolsas, brincos e, como não podia deixar de ser, pulseiras para relógio.

Na Diloy, apostámos nesta tendência incluindo o verde-oliva em muitos dos nossos modelos, e, além disso, pondo no mercado duas pulseiras 100% militares: a nossa última novidade, o modelo Nato Military, disponível nas medidas de 20 e 22mm. Trata-se de um tecido de nylon, muito parecido com o empregue nos cintos de segurança, impresso em três estampados diferentes de camuflagem.

Pulseira relogio 410 Military

Pulseira relogio 410 Military

E além disso, há o nosso popular modelo 370, fabricado com tecido militar e disponível entre 18 e 30mm. Há pouco tempo, começámos o processo de redesenho deste modelo, implementando algumas melhorias técnicas que aprendemos recentemente. E substituindo materiais para chegar a uma pulseira muito mais suave.

Se o que quer é um modelo mais clássico, mas que combine com o seu visual militar, pode dar uma vista de olhos à nossa coleção de pulseiras de couro e verá que temos uma infinidade de modelos disponíveis na cor verde militar. Para citar alguns: 302, 304, P205, P206, P178

Pulseira para relógio resistente à água. A melhor opção para o verão de 2018

Pulseira para relógio especial para veganos e, além disso, resistente à água

Voltámos a fazê-lo! Desta vez apresentamo-vos uma pulseira especial para o verão, 100% resistente à água. E, além disso, especial para os que nos pediam uma pulseira para veganos.

 

Pulseira para relógio especial para veganos e resistente à água

Se é especial para veganos, de que é feita?

O nosso modelo de pulseira vegano é feito com microfibra, um material técnico, com que experimentámos durante algum tempo, e que reúne, entre outras, estas características:

  • Suave ao toque. Verá que é uma pulseira simples e cómoda de usar desde o primeiro dia.
  • Este tecido é muito difícil de amarrotar ou deformar. Isto é perfeito para que a pulseira se mantenha na sua forma original apesar dos meses de uso.
  • É um tecido hidrófugo, não impermeável. Quase nada :). Por outras palavras, não gosta de água, mas permite a transpiração. É de secagem rápida. Não quer dizer que a pulseira não se molhe. Quer dizer que a pulseira seca o mais rapidamente possível sem se deteriorar.
  • Relacionado com o anterior. É um tecido respirável: elimina o suor, de maneira que é ideal para levar em relógios desportivos.
  • É um material muito leve. Bem, no tamanho de uma pulseira de relógio também não vamos sentir uma grande diferença em relação ao couro de toda a vida, mas sente-se que é um material muito mais leve do que o couro.
  • Alta resistência às mudanças de pH, e, consequentemente, ao suor.
  • Tem propriedades antibacterianas, o que faz com que não apareça o mau odor que costuma aparecer nas pulseiras de couro no verão. Claro que, se não tomar banho, também não se podem esperar milagres.
  • É um material hipoalergénico. É sempre importante sublinhar que um material hipoalergénico é aquele que reduz o risco de sofrer uma reação alérgica, o que não quer dizer que não possam existir casos específicos de reação alérgica, mas, à partida, não será o normal.
  • Tem propriedades anti-pilling, que evitam que se formem borbotos ou se desprendam fios.

Mas, o que é exatamente a microfibra?

Para os que gostam de ser um pouco mais técnicos, dir-lhes-ei que a microfibra é um desenvolvimento de alta tecnologia composto por duas fibras ultrafinas: poliéster (80%) e poliamida (20%). O fio que se obtém é cem vezes mais fino do que um cabelo humano. Com apenas metade da grossura da seda.

Para que se usa a microfibra, além de fazer pulseiras Diloy?

Estes são alguns dos usos do chamado tecido do século XXI:

  • Fardas de trabalho por sua alta resistência.
  • Roupas funcionais. Por exemplo, equipamentos de desporto ou roupa para chuva.
  • Tecidos parecidos com a seda para o fabrico de roupa, lençóis, etc. Na verdade, as mais finas e cómodas.
  • Todo o tipo de aplicação em substituição do couro: luvas, casacos, móveis, etc. (Aqui entramos nós).
  • Tecidos de limpeza de alto rendimento, que consomem menos produtos de limpeza.

O que não é a microfibra? Com que é que não a devemos confundir?

A microfibra não é nem um PU nem um PVC. É fácil distinguir os dois materiais ao toque. A microfibra não tem o toque frio do plástico, uma vez que é um tecido. Por isso mesmo, não se quebra facilmente, como o plástico, e transpira.

Que não o enganem com uma pulseira de plástico.

Veganos

modelo 415 é o primeiro modelo de pulseira de relógio para veganos que lançamos no mercado, com o qual pretendemos cobrir a procura dos clientes que nos estavam a pedir, cada vez mais, este tipo de pulseira.

Ainda que, na nossa loja, tenhamos incluído este modelo de pulseira na categoria de pulseiras de couro, queremos deixar bem claro que este modelo é 100% livre de couro. A sua classificação obedece principalmente à nossa esperança de que o grande público tenha acesso a este modelo e, no mercado atual, seria difícil classificá-lo sem que levasse a confusão.

Variedade

Esta pulseira está disponível, de momento, nas cores de preto, três tons de castanho diferentes, azul marinho, vermelho e branco. Fabricamo-la em medidas desde os 18 aos 26mm com estilo vintage.

Por agora, só está disponível com fivela de aço. Em breve, teremos algumas com fivelas douradas, acobreadas (ouro rosa) e óxido negro. Todas galvanizadas por deposição física de vapor, também conhecida como PVD.

Enquanto não chega o stock com as fivelas diferentes, lembre-se que temos fivelas à venda de todas as cores.